quarta-feira, 23 de abril de 2014

poesia sobre tela

de tintas
nada entendo.
mas pinto com teus traços
um poema de amor.

vejo em teu corpo
nas expressões, nos gestos
palavras que rimam
que cantam verdades.

desejo extrair arte
de cada uma
das tuas linhas.

desejo fazer parte
de cada uma
das tuas rimas.

em teus olhos fechados
enxergo sonhos que
tornaram-se nossos.

lembranças de um futuro
que de tão presente
pareço já ter conhecido.

relembro tua pele
tela dos meus sentimentos
que despejo em mistura
de realismo e surrealismo.

tua chegada foi dessas coisas
boas demais para serem verdade
mas, felizmente,
tu és!

és, dentro de mim,
descanso, paz, acalanto.
és dono do que há
de mais bonito e manso.

te cubro com
um mar de planos.
navego por eles
no barco das nossas vontades.

sei que, cedo ou tarde,
vens pra perto.
mesmo sem exatidão
te sinto, te enxergo.

guardo em pensamento
o quadro pintado
o poema inspirado
pelo teu sorriso.

levo comigo o toque
as feições, o riso.
busco na mente
fotografias nossas
perdendo o juízo.

te escrevo em versos
quase sem ritmo
mas não me importo:
quero continuar
dançando contigo.

3 comentários:

Dilly Monnete disse...

"Desejo fazer parte de cada uma de tuas rimas."
*suspiros apaixonados*
Que posso dizer, se já disseste tudo?!
<3

http://dillymonnete.blogspot.com

Lê Fernand's disse...

ahhh, o amor...

:)

Anônimo disse...

Que as tintas no seu sentindo figurado não sejam finitas. Que o amor nunca acabe.
Espero isso da nossa amizade.