domingo, 6 de janeiro de 2019

tocando em frente

revisito os sentimentos
como quem não sabe o que busca
ou se busca.

sei que gosto de voltar
pra ver o que passou
(o que ficou?)

voltar trava uma guerra:
no interior
sobraram migalhas.

reler é me reconhecer:
esqueci de propósito
segui sem nenhum?

por fim
vejo que perdi
os pontos finais.

;

tocar em frente
é reaprender
a me sentir minha.



sábado, 15 de dezembro de 2018

estátua

o vento bateu a porta
repentino, incômodo
barulhento.

pensei em levantar
o ar parou de correr
desisti.

observo sentada
o ser assustado
debaixo da cama.

estátua.

um ciclo se fecha
forçado, apressado
violento.

pensei em relembrar
o peito acelerou
desisti.

observo de pé
o ser assustado
no espelho do quarto.

estátua.

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

-

roubo versos já trocados
sequestro idéias de um eu
que já foi

[já fui?]

da vida em função fática
do sentir metalinguístico
tanto sentido

fica o desejo do verso
desenhado feito arranhão
n'outra pele

fica a falta de tato
acordando as vozes
de um longo arrepio

a ambiguidade
foge aos padrões
da norma culta

ignoro

doutrinas polissêmicas
ainda me interessam.