domingo, 1 de junho de 2014

livre amor

é celeste o vermelho
que ao céu me conduz
num gracejo, num beijo
num sorriso-luz.

antecipa o futuro
a poesia que veste
de festa o escuro
e realiza a prece.

não tem mais pressa
apresenta, senta
o olhar confessa
as estrofes que inventa.

desenho essas linhas
da cor do querer
que em palavras minhas
aceitaste ler.

espero e persigo
o que já ficou claro
aceito e bendigo
esse amor livre, raro.

2 comentários:

Lucas Hage disse...

[...]
À bancada, a luz sobre as folhas rabiscadas de um...
Amor poético, na harmonia de sons
Que em tons de nós dois
Faz a paz da tua luz
E mesmo na escuridão do quarto,
No paradoxo que me define quase normal,
Me cativas teu
Querendo e amando tudo o que seja nosso
Teu sol
[...]

Lucas Hage disse...

Comentei com um trecho do poema já teu desde a idéia. Desde o sentimento; vindo de dentro. Leio e aceito. Palavras da tua vida postas em versos. Verso feliz, livre, raro. Aceito, repito, o que já está claro!