segunda-feira, 22 de outubro de 2012

"prefiro assim com você..."

A gente aprende a dissolver a tristeza numa solução concentrada de carinho e paciência. E não é tão difícil quanto parece. Quando o amor toma conta, todo o obstáculo tende a migrar pra um lado sereno da nossa alma, que transforma o choro em festa. De vez em quando uma fagulha de raiva decide durar dentro do peito, mas logo se apaga: ninguém quer morar dentro de alguém cheia de mágoa. Meu coração ficou mais limpo quando chegou quem queria fazer dele abrigo. E eu nem quero ser mais do que isso: lar. A alegria do encontro é algo tão extraordinário que agora só quero arranjar espaço pra coisas boas, mesmo estando longe do teu olhar cuidadoso. Sei que ainda posso descansar debaixo do teu pensamento, e talvez todo esse fluxo energético que - de tão longe - consegue correr entre nós seja o que me deixa mais calma. Enquanto os meses passam sem o teu rosto, eu procuro ouvir tua respiração todos os dias. E com tão pouco, ainda sou grata. Não vou embora, e nem penso. Descobri que teu beijo com gosto de saudade é melhor: cuidadoso, morno, l e n t o, rápido. É nessa ordem que ganhas o meu sorriso. E meus olhos tendem a fechar, e minhas unhas tendem a passear pelos teus cabelos e costas, e tudo o que existe dentro de mim tende a suspirar. Assim mesmo, desse jeito apaixonado e clichê que, apesar de me irritar, é mesmo bem bonito. Percebi que as pausas são necessárias. E te digo isso assim mesmo, nesse texto apressado e sem parágrafos. Tenho cuidado para não separar tanto as palavras, com medo de que alguma força de outra dimensão, ou seja lá o que quiser te levar de mim, as tome como exemplo. Então prefiro assim: juntinho [sem caber de imaginar

até o fim não raiar.

4 comentários:

Adriana Ribeiro disse...

que liiiiindo mari! perfeito esse texto, dá pra sentir cada sentimento teu contigo e viver um pouquinho dessa tua realidade! *.*

Felicidade Clandestina. disse...

Eu bebi esse texto e senti um gosto de amor imenso, que nem mar. Um misto de saudade salgada de lágrima fujona.


Tu és encantadora, Mari.


s2

Flá Costa * disse...

é esquisito e tão peculiar esse sentimento de amor que parece aproximar ainda mais a força do que se sente com a ausência da pessoa né?

beijoca

Hélio Netho disse...

e esse sentimento é mesmo tão bom, apesar dos pesares, é tão bom >>