quarta-feira, 7 de setembro de 2011

relicário II

você chegou sem me olhar nos olhos, talvez com medo de não conseguir mais ver tudo o que viu ao longo de todo esse tempo. eu fui chegando perto aos poucos, segurei tua mão, deitei no teu colo, pedi tua boca.. não a entregaste logo, mas já era de se esperar. imagino que estejas ferido.. eu também estou, pode acreditar. mas depois tua boca veio. e teus braços, e abraços, e tuas mãos, e tuas vontades, e teu carinho, e tudo o que tu sempre me ofereces. e eu fui sendo tua aos poucos, como sempre. lembro dos primeiros dias, das primeiras visitas, dos primeiros beijos.. e sempre foi assim: devagar, com cuidado. você fez eu me sentir desse jeito desde o comecinho... me tratou - e ainda trata - como se eu merecesse tudo isso que você é. então não podia se esperar o contrário. você foi sendo meu e eu fui sendo sua. sempre de um jeito só nosso, num ritmo só nosso. e eu tenho que falar do hoje. tenho que falar do quão bom é te sentir perto. e eu vou guardar o hoje, assim com eu guardei o antes e como tenho feito de tudo pra poder guardar o futuro. eu vou guardar o teu abraço, o teu calor, o teu aconchego, o cheiro da tua nuca, a maciez do teu cabelo, os teus olhos brilhando com o sol forte que batia no teu rosto, a música que tu fazes questão de cantar quando eu me deito, quietinha, nos teus encantos. vou guardar tudo o que é simples, tudo o que é nosso. eu sou tua. e você me disse que ainda é meu. vivamos o nós. não nos desatemos, meu bem, que não vai fazer nada bem. que possamos pegar tudo o que foi guardado desde o primeiro abril, mergulhar no sonho de sempre, e ser. e estar também. um dentro do outro, guardado, reprisado, vivido e revivido. como sempre. desde sempre. e você já sabe até quando. 


(...)


- vem cá.
- tá fazendo o quê?
- guardando teu cheiro...


if your heart should melt away




I'll find you anyway



.
.
.

3 comentários:

ticoético disse...

Por aqui...não há nada,só amor.
enfim,bela.

abraço !

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Viva e deixe viver. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/

Stella Rodrigues disse...

até quando, eu e você pudermos aguentar ♫ E essas fotos são tuas moça? Que lindas *-* Espero não sentir essa coisa, que é saudade, que é vontade, que é desejo, mas arrependimento, que parece que é o que tu sente, apesar de como transcreve ficar bonito, e emotivo, não deve ser bom sentir, é.