sexta-feira, 16 de setembro de 2011

mais plural.


todo o teu amor eu vi de longe. dava pra sentir o teu perfume.



eu dei uma longa caminhada hoje. cheguei tarde onde eu deveria, mas não importa. a música que você me mostrou tocava no volume máximo e o sol batia no meu rosto, exatamente como bateu no seu dias atrás. meus olhos provavelmente brilhavam como brilharam os teus, e eu sentia a mesma vontade daquele dia: não sair do teu colo, não escapar do teu abraço, não me afastar das tuas sutilezas engraçadas e do teu toque cuidadoso. de vez em quando me dá uma vontade quase insuportável de ouvir o teu silêncio juntando-se ao meu enquanto a minha boca faz carinho na tua. e, na realidade, é sempre a mesma coisa: te sentir sempre me lembra dos primeiros dias, das primeiras vontades, dos primeiros cheiros, dos primeiros gostos e dos sonhos que até hoje são os mesmos. e eu falei pra você num outro dia em que, como de costume, a saudade fazia a gente arder por dentro: não tem nenhum pensamento meu voltado pro futuro que não te inclua, não há um sonho meu do qual você não faça parte.
você pode acreditar em mim dessa vez, e prometo que poderá também todas as outras vezes. apesar dos machucados, a gente se reconstrói. apesar da alma anoitecida, da mente cheia de culpa, da vida cheia de inconstâncias, a gente amanhece, se perdoa, anda em frente. apesar dos tropeços, a gente levanta. você me ajuda, eu ajudo você. e foi assim desde o comecinho, lembra? "tens me feito sorrir constantemente", achei isso guardado por aqui. 
você é desses seres humanos raros, e isso todo mundo acaba percebendo. você vale a pena. mas e eu? seu dos mares que você abriria e das montanhas que moveria se tivesse tal poder, mas já que não tem, vejo os problemas que você tenta curar, dos sorrisos que você tenta arrancar, dos carinhos, das gentilezas, das pessoalidades bonitas que você carrega. e eu realmente gosto do que você é. o admiro, o agradeço e o desejo mais do que qualquer outra coisa.
essa enorme estrada tem tido quedas e desvios, só você sabe. e me perdoe por envolvê-lo tanto, mas é você o que eu preciso. quero aprendê-lo, quero vivê-lo.  quero você pra atar o par, pra descansar no sempre, pra versar o beijo, pra rimar com o silêncio. o quero pra durar no meu peito e quero durar no seu também. só a gente sabe o quanto a gente é, meu anjo. só a gente sabe a grandiosidade das significâncias, dos detalhes e de todo o resto. só a gente sabe o quanto vale o 'eu te amo' de todas as noites, a música de algumas manhãs e o que sobrou das tardes antigas, formando o tanto que somos agora.
é verdade que seria mais fácil se ninguém fosse inteiramente de alguém. mas a verdade é que eu sou tua...
eu sou tua, meu bem.


caberá ao nosso amor o que há de vir.


11 comentários:

M. disse...

Senti , uma doçura que me arrancou o sorriso do peito :)

Leontyna Santos disse...

E eu queria poder um dia sentir tudo isso, pertencer inteiramente a alguém e ser presenteada com alguém inteiramente meu.
Sentimetos muito lindos! (:

Beijos*:

Geraldo Pinho disse...

Que delícia é aconchegar-se no outro! Texto gostoso demais!

fatoSempalavras disse...

eu nunca vi uma menina tão doce...sempre te disse isso. não é por nada que sempre te chamei de anjo,lembras?

me parece que há um encaixe perfeito nessas entrelinhas,aliás, nesse conto, ops, mais uma vez, nesses dois corações.

gosto mt de ti. acredite.

Thais Nobre disse...

"de vez em quando me dá uma vontade quase insuportável de ouvir o teu silêncio juntando-se ao meu enquanto a minha boca faz carinho na tua."

uau.

Má Midlej disse...

É muito bom ler essas coisas aqui, Mariana. Voce não tem noção do bem que faz.
Transmite as sensações de uma forma muito unica.

Esse daí cravei no peito. Linda, você.

Felicidade Clandestina. disse...

''Mas é você o que eu preciso. quero aprendê-lo, quero vivê-lo. quero você pra atar o par, pra descansar no sempre, pra versar o beijo, pra rimar com o silêncio. o quero pra durar no meu peito e quero durar no seu tambem''



Meu Deus que coisa mais encantadora é essa? É lindo sentir isso, se permitir viver tudo isso, tomara que o amor fique e nunca mais queira ir.


Beijos linda ;*

ticoético disse...

Gosto muito do modo como você,nos teus escritos,mistura música com texto e vice-versa,e versa o vice,enfim,este finalzinho me lembrou "Tua" da Bethânia,só pra constar.
Ainda falando destas vertentes musicais...desde que ouvi a música,passei a lhe ver como a 'morena da cidade' de "Acostumar",do Camelo,e nesse estado apaixonado constante que se encontra,cada vez confirma mais essa imagem...bom,muito me agradou este escrito em especial,porque a chave pra amar um ser humano,é deixar de pensar como um ser humano,libertar-se,e você me parece explorar essa ideia,pode parecer ridículo o que eu tô falando,mas pra mim,isso é bonito pra caramba e...é isso,enfim²,bela.

abraço !

Stella Rodrigues disse...

Ai, que coisa linda que me encheu os olhos de água, posso dedicar pra quem é dono do meu eu? Menina, que invejinha de ti haha, queria ter escrito isso, de verdade, ah como eu queria. Não acreditei que ainda não tinha lido isso.

Diana disse...

Esse amor é uma delícia, pude perceber. O que escreves é gostoso ler.

Desejo que aproveite ao máximo.

Ártemis Rae disse...

Eu me arrepiei inteira e é claro, chorei litros...
Amei o que escreveste, foi tudo tão lindo!

Amei as coisas que escreves!
Pode esperar a minha visita diária por aqui!

Bjoo