sábado, 29 de janeiro de 2011

sobre humanos


onde estás?
eu olho pro teu corpo
e vejo todos
onde estás?

tua falta de essência
me dá medo
e tenho pena
do que não és

o teu não ser
só funcionou
pros que não são
junto de ti

que todo o resto
ao te olhar
se perguntou:
és tu aqui?

não me é surpresa
eu já sabia
é muito fácil
perder-se assim

mas logo tu
ora, quem diria!
depois de tudo
ainda houve fim

esse teu clamor
de olhos fechados
e olhando pro céu
é outra mentira

melhor cortar
essa outra alma
que não é tua
mas te habitou

melhor voltar
ao ser verdadeiro
ao que ainda és
mas se dispersou


6 comentários:

L'amore in Parole disse...

Quanta emoção neste poema; é forte. Adorei. Você leva jeito com as palavras. Eu amo as coisas que escreve e amo seu blog, é tudo tão lindo. Parabéns.





http://lamoreinparole.blogspot.com/

Priscila Rôde disse...

Essa volta salva...

Beijo, Mari!

Natália Corrêa disse...

mas entenda, às vezes não tem volta. às vezes ele simplesmente não está mais.

Mariah disse...

sem comentários, seus poemas são ótimos... sempre quis escrever assim, mas o meu negócio é prosa, hahaha

Má Midlej disse...

Sou sua fã.
Sempre concordo plenamente com suas palavras.. És tão concreta apesar da subjetividade e tudo o mais...
Eu gosto de dançar nas suas letras, Mariana.

Amo isso aqui. haha
beijão.

Sandrio cândido. disse...

Esta volta é necessará.
beijos mari