sábado, 15 de janeiro de 2011

é simples (mas nem tanto)

é difícil lembrar
de não esquecer
que se essa saudade
[que é constante]
simplesmente acaba


quer dizer que
todo o resto
[TODO o resto]
que a gente traz
aqui por dentro


e que é
bom demais sentir


foi embora junto.

5 comentários:

Priscila Rôde disse...

Vai embora junto, bem junto...


Um beijo, Mari!

absinthe disse...

não entendi quase nada desse texto [acho que era essa a intenção da autora - que ninguém entendesse], só uma coisa: todo o resto que é bom demais de sentir não vai embora, muito pelo contrário, sentir saudade não é sentir algo que ainda existe por dentro... sentir saudade é sentir tudo aquilo que nem se pode sentir ou explicar, por coisas do lado de fora ou dentro, que vão ou que ficam. quem disse que é simples (mas nem tanto assim)? :-)
viajay, bjsmetwitta
hhuhuhuhu

Mariana Andrade. disse...

ei, absinthe, no geral é isso aí que disseste. mas no meu caso [e sabes bem qual é o caso] é o que escrevi. que se a gente se acostuma, acabe por nao sentir mais falta.. e some.

e eu te amooo s2 haeuahehu bjs

marinaCavalcante disse...

Pois, é... mas existe a saudade que machuca. Com essa eu não quero viver.


Um beijo
Espero você em meu blog!

Erica Vittorazzi disse...

Ah não. O que é bom, se esconde em um lugar secreto. Tão secreto que não consiguimos achar onde está. Mas, está...


... em algum lugar.

Beijos