terça-feira, 14 de dezembro de 2010

eu fiz pó com as minhas verdades
e varri pra debaixo do tapete
será que ainda estarão lá
quando eu as quiser
encontrar?

3 comentários:

Ana disse...

Faço de tuas as minhas palavras. E é o que espero. Que as encontre.

Luciana Brito disse...

Talvez estejam lá, mas também podem ter mudado, se transformado em outra coisa.

beijo.

Niel disse...

Sempre estarão... Na alma de um poeta tudo tem lugar e espaço... Mesmo que "o pó das verdades" varrido pra debaixo do tapete... Na alma de um poeta cabe o infinito...