quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sentires.

é que o sentimento
escorre no peito
na mesma frequência
que o nobre sujeito
chora arrependido
falando de um beijo
que da sua amada
ele rejeitou

é que o sentimento
perfura o peito
na mesma frequência
que o pobre sujeito
traz à tona a mágoa
falando de um beijo
que de outra qualquer
ele aceitou

é que o sentimento
invade o peito
na mesma frequência
que o alegre sujeito
implora desculpas
e recebe um beijo
da mulher que o ama
e que o perdoou

(quem dera que pudesse ser sempre assim, fácil)


mariana andrade*


PS.: Para esclarecimento de alguns, o texto que postei anteriormente é fictício, ok? haeuhae não estou com problemas desse tipo (;  beijos, e obrigada.

10 comentários:

gabriela marques. disse...

como sempre, adoro teus versos! *-*

evelyn.andrade disse...

o de antes é pra mim

thebelement disse...

Bons versos ;)

Natacia Araújo disse...

Menina, e onde está teu livro? Precisa providenciar, é de uma doçura medonha esses teus versos! Amei!

Mari e Ana disse...

Lindas suas palavras, parabéns! Adorei lê-las!

Ana

Erica Vittorazzi disse...

Ai que deícia de versos...


Quem me dera ser fácil assim também!!

Beijos

Mariah disse...

que saudade dos seus posts! tava meio sem tempo pro blog, mas não custa nada dar uma passada aqui :) você tá de parabéns!

Alan Félix disse...

Oi, é com grande prazer que dedico um SELO para você.

Entra no Viveiro de Versos.


Forte Abraço!!!

may disse...

marii, indiquei você em joguinho la do meu blog :) ;**

Renata de Aragão Lopes disse...

Que belo poema, Mariana!

Um conto
contado em versos.

Versos
que soam letra de música.

Beijo,
Doce de Lira