domingo, 21 de março de 2010

.

Eu tenho as mãos atadas.
Eu tenho os pés descalços.
Eu tenho a mente insana.
Não tenho medo.
Eu sei o que quero.
Eu sei o que faço.
Eu sei o que sinto.
Não sei o porquê.
Eu quero o impossível.
Eu quero o eterno.
Eu quero o maior.
Não quero mais nada.
Eu ouço tuas músicas.
Eu ouço minha dor.
Eu ouço minha alma.
Não ouço ninguém.
Eu falo de tudo.
Eu falo do mundo.
Eu falo da verdade.
Não falo mais nada.
Eu conto meus passos.
Eu conto os abraços.
Eu conto nos dedos.
Não conto segredos.
Eu guardo canções.
Eu guardo emoções.
Eu guardo presentes.
Não guardo tensões.
Eu alimento sonhos.
Eu alimento alegrias.
Eu alimento emoções.
Não alimento certezas.
Eu sou poesia.
Eu sou confusão.
Eu sou o verbo ser.
Não sou o que não creio.

Eu sei do que tenho.
Eu sei do que quero.
Eu sei do que sinto.
Eu sei do que espero.
Eu sei do incerto.
Eu sei do que é belo.
Eu sei do que eu sou.
Eu sei do que eu sei.
E do que eu não sei.

Eu sei do que ainda
não podemos ser.
Eu sei do que um dia
nós iremos ter.

Eu sei.

Sem querer.
mariana andrade*

12 comentários:

Amanda Romero disse...

E é assim que sempre vai ser.. iremos ouvir, ser e saber coisas sem querer, por um mero acaso, ou por mera obrigação do mundo, talvez.

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

A prodígio da minha eterna e imensurável admiração você já sabe então vou apenas dizer que ao ler não pensei em mais nada do que a metamorfose ambulante que é as nossas vidas, mas isso foi apenas o que eu pensei...

Abraços ;]

Priscila Rôde disse...

No fundo a gente sabe pouca coisa. As vezes é melhor não saber..

Você é uma linda, Poetisa!

Beijos


Admiro - te!

Erica Ferro disse...

Eu não sei nada, mas eu acho muita coisa. E, por isso, sei. Porque o meu saber, para quem vê, é achismo.
Deixa os outros com os achismos deles.
Afinal, todo mundo acha muita coisa, mas poucos sabem de fato.

E você é linda, como já disseram aqui. Linda mesmo! Por dentro e por fora.
Te ler é algo mágico, acredite.

Beijo.

Marie disse...

Quanto a mim não sei o que dizer, mas a única certeza que tenho. Eu quero o impossível.

•Janaina Barreto• disse...

Texto bastante profundo.
Bem bacana,beijo.
;D

evelyn disse...

praticamente uma prova de amor. hehe ah, olha só, essa foto tua do blog parece que só é nariz... ehauehueau fikdik
beijos, te amo

Bia Magalhães disse...

Me vi cantando com loucura esse poema...
se fosse uma música não sairia da minha cabeça!!
melopéia irradiante
;*

Gabriela Castro disse...

É importante saber o que somos, o que temos, o que gostamos e o que acreditamos. Mais importante é saber que podemos nos supreender com nós mesmos a cada segundo.
beijos

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Eu tava aqui quebrando a cabeça, muito tolo eu, vim ver se você postou algo novo e ai li novamente sua palavras, mas cliquei nos comentários do texto anterior onde não comentei e fiquei pensando: "nossa eu tenho certeza que comentei, será que ela apagou, será que era só impressão? Será que sou louco", é bizarro né, mas acontece.

Ah, vendo essa sua foto eu acredito na sua idade!

Bê Matos disse...

Seu final me deixou de queixo caído. Só isso que eu tenho a dizer, hihi.

Beijinhos, linda. :*

Stella Rodrigues disse...

Perfeito