domingo, 20 de dezembro de 2009

Parada Cardíaca (republicação)


Era um homem comum,
em uma casa comum,
em uma noite comum.
Tinha sonhos comuns,
tinha desejos comuns.
Sentia prazer com coisas banais.
Amava alguém,
queria ficar com essa pessoa para sempre.
Nessa noite, sonhava com ela.
Sonhava com um amor inabalável.
Algo que, há quem diga, é quase impossivel.
Mas não pra um sonho.
Nada é impossivel quando busca-se o inconsciente.
Ele acordou angustiado,
com um pressentimento ruim.
Por volta das três da madrugada o homem estava de olhos bem abertos.
Levantou-se da cama,
dirigiu-se à janela,
olhou o céu estrelado.
Desejou mais do que qualquer coisa chegar até lá,
roubar uma estrela para ela.
Fez os mais absurdos planos para roubar uma estrela,
apenas uma dentre milhares do grande manto estendido sobre ele.
Deitou-se na cama,
não conseguia mais dormir,
estava perdido em pensamentos.
Pensava como ela ficaria triste se não recebesse a estrela roubada.
Sentiu-se inutil ao perceber que era apenas um sonho;
um dos seus inúmeros sonhos que não viravam realidade.
O coração era fraco demais.
doeu.
sofreu.
parou.

mariana andrade*

P.S.: Eu já havia publicado esse textinho antes, como disse no titulo, e resolvi republicá-lo por dois motivos: primeiro porque uma pessoa que eu admiro muitíssimo me disse algumas vezes que esta é a melhor das minhas obras, ou pelo menos uma das melhores (eu também gosto muito deste, particularmente), e segundo porque a cabeça tá parada mesmo, e pra não postar algo sem sentido, vai este aqui.
beijos, beijos :*

24 comentários:

Bill Falcão disse...

É realmente uma poesia sensacional, Mariana!
Valeu, sim, a republicação, que, para leitores como eu, é absolutamente inédita e deliciosa!
Bjoooooooo!!!!!!!!!

FatoSempalavras. disse...

oown, anjo.


Até se vc ñ estiver inspirada - algo que acho difícil - certamente sairá algo mt bom. Tens um dom, uma habilidade muito grande. Este, como todos os outros, ficou perfeeeeeeeeito!!

disse...

O coração era fraco demais.
doeu.
sofreu.
parou.



MENINA! me mata, assim!

JaqueFonseca; disse...

amar é sempre assim mesmo.

, dudiinha cazé disse...

eu quero uma estrela pra mim também =/ porque ninguém rouba ein ? ai,ai...

Islla Lopes disse...

É possível parar, e continuar vivendo? É, é...

Lindo amiga *-*

Mai disse...

Recentemente li um conto de uma escritora portuguesa, algo bem próximo deste teu poema. No conto dela, o narrador é a própria morte.

Excelente este teu texto.

Um beijo.

Tania Girl disse...

OIiiiii
Não sei se é a melhor de suas obras, mas com certeza é maravilhosa!!!
Adorei!!!
bjuuuu

ticoético disse...

nao tinha lido da primeira vez,mas agora q li,posso dizer q é belo,gosto de finais inesperados.
abraço !

Felicidade Clandestina. disse...

(: lindo DEMAIS'

Erica Vittorazzi disse...

Estes corações fracos sentem quando vão parar, eu sei, ou sinto...

› dani.avila ♥ disse...

capturar estrelas, e desejar sonhar sem querer acordar jamais, é um dos meus maiores talvez, 'desejos'.

evelyn andrade disse...

com tantas já escritas, fico até com medo de afirmar que essa é a melhor. mas lembro muito bem quando li a primeira vez e o que senti na hora. nem sabias o que era seguidores, muito menos eu. escrever era só por escrever.

mas eu te reafirmo: é a melhor, por tudo que me fez sentir quando eu li.

''Tay' disse...

Que perfeitoo *-*

Mary* disse...

Devo concordar que é uma poesia maravilhosa :)

Adorei!

Mari, querida.
Vou aproveitar e te desejar um Feliz Natal e um 2010 iluminado.

Um grande beijo ;*

Mariah disse...

esse eu ainda não conhecia! é muito bonitinho o que ele sente por ela... quero um, hahaha :)

Vinícius Aguiar disse...

Esse texto demonstra exatamente o quanto a vida é efêmera, e o quanto nossos sonhos e desejos são inúteis diante da fulgacidade da vida. Por isso, devemos viver intensamente cada sentimento e buscar nossas realizações dia após dia, para que ao final de tudo, possamos sentir-nos verdadeiramente completos!

parabéns, beijos!

Anna C. disse...

NOSSA *-*
não conheço as outras obras,
1º vez aqui seu blog, hihi .
mas realmente essa é magnifica *-*
ahh, e obrigado pelo conselho.
você disse a coisa certa, no momento certo :)
acho que era aquilo que eu precisava de ler *-*

Márcia Amaral disse...

ERA UM HOMENZINHO TODO, MORAVA EM UMA CASA TORTA, TINHA UMA VIDA TORTA ♫ KKKKKKKKKKKKKKKKKKK, EU PRECISAVA FALAR ISSO OK, LEMBREI LOGO DA MUSICA E TALS ):

Carla disse...

Que bom que postou de novo pq não tive a chance de ler na primeira vez que postou e adorei :)

Erica Ferro disse...

Eu morro direto, sabia?
E é estranho, e é bom.

Gostei do post! Gostei muito.

Ah, coração... Pode deixar que logo atualizo o meu bloguinho. *-*
Me alegro por saber que sentes saudade.

Beijo.

''Tay' disse...

Não tinha tido chances de ler esse texto antes.
Ele é simplismente, perfeitoo *-*

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Suas poesias são pra mim como as poesias do meu brother Mário Quintana, não importa se eu leio uma ou dezenas de vezes, soam sempre como se eu tivesse lendo pela primeira vez. Logo o encanto é incomparável.

Daniela Filipini disse...

Incrivelmente bela!