sábado, 4 de maio de 2013

vou voltar ao meu lugar,
passar naquele corredor cheio de cheiros
e comprar alegria pra me banhar,
uma fórmula qualquer que faça prosperar,
um vidrinho de esperança pra levar na bolsa,
adornado de cuidados pra não quebrar.

vou sair do meu lugar,
levantar da cadeira e subir numa dessas montanhas,
de concreto ou de areia,
me jogar nos braços de todo esse vento
que é pra ver se vou pra frente, pra cima,
que é pra ver se avanço,
se largo esse medo gigante da vida.

vou ficar no meu lugar,
fincar os pés em tudo o que sou
e não mais me largar,
sustentar o que fizer rir
deixar ruir o que for ímpar,
o que me atrapalhar na hora de achar morada
dentro de mim.

eu vou transformar em amor
as pedras que a vida atirar.

4 comentários:

Nati disse...

Prefiro transformar as minhas pedras em sabedoria, porque por amor não estou muito interessada nesse momento. Beijos

Maria Midlej disse...

Eu leio você sentindo o gosto doce que as tuas palavras têm.
Que saudadedaqui...

Você sempre maravilhosa!

Beijo, Mari

Felicidade Clandestina. disse...

Sempre fazendo os nossos olhos dançarem com tanta maestria, com tanta leveza e doçura.


Ai, menina <3

Coisa mais linda de viver!

- iorgut disse...

seria bom vidrinhos de esperanças rs
Parabéns! Ótimas palavras em seus versos. <3