quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

O fim começa como termina o dia..


E a madrugada é mais uma transição.
De muitas.
Chega a cansar.
Não tenho tempo para descanso.
Sentir não pára jamais.
O sentir não fecha os olhos.
Nunca.
Nem um segundo.
De nenhum segundo.
Ela é paz,
e também solidão.
Solidão que não abandona.
Me acompanha até quando estou só.
Ela, a solidão,
e teu aroma,
por vezes tão doce.
Demonstrado em cada pétala caída
por este chão.
De lajotas pretas e brancas,
sem significado algum.
Me deste uma flor certo dia.
Deste nas minhas mãos.
E afirmaste que ela não morreria.
A não ser que eu mesma a matasse.
Foi o que fiz.
Pois, como já disse,
Cansei.
Cansei de acordar no meio da noite,
ou nem ao menos dormir,
com as narinas sentindo.
SENTINDO.
E lembrando do que não deveria.
Mal-me-quer.
Bem-me-quer.
Não importam mais os resultados,
da busca da criança frágil que vos fala.
Coloquei sua flor de volta no vaso.
Mas estava sem pétala alguma.
Para ver se,
mesmo assim,
exalaria o cheiro.


exalou.

mariana andrade*

P.S.: A menina da foto é amigona minha, Márcia Amaral, que att o blog In Melody (www.marciamaral.blogspot.com). Eu amo essa foto dela, então fica aí, como uma homenagem bem carinhosa ;)

beeijos da mari ;*

24 comentários:

Vital disse...

o sentir não fecha os olhos nunca
muito bem dito.

Marcelo Mayer disse...

mas fechando os olhos, o sentir pode mentir

Mai disse...

Madrugadas são longas e exasperam a solidão. Tudo se amplia. Escrever sempre ajuda, sentir o perfume das flores e a vida ao redor, também, mas o melhor é saber que somos mas não estamos sós.

Abraços e bom dia!

Natália Corrêa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Natália Corrêa disse...

O perfume já está em você, impregnado nas narinas...
Talvez a flor nem exale mais, mas você sente, porque o sentir não fecha os olhos.

:D

Você é doce, menina, você é :D

Erica Vittorazzi disse...

Mariana, que linda poesia.


O cheiro está na memória, isso mesmo!!

Fernanda disse...

A Marcia é super fotogenica né...


teu poema me lembrou muito um estilo literario: o barroco...lindo lindo.

Juliano disse...

É o cheiro do amor, que mesmo despedaçado, ainda vive no nosso peito.
Lindo de mais.

Beijoooos Mari

Gian Fabra disse...

ninguém pode arrancar o que vc sente... mesmo o amor não correspondido continua sendo amor.

muito bonito isso
bjs

Caliginoso disse...

Fantástico!

to seguindo ;)

Márcia Amaral disse...

ual, eu sempre linda e absoluta eeeeeem? OHUHFUAH, te amo gata morena preta, esse texto tá na minha caixa rosa, com todas as tuas cartas!

Mariah disse...

nossa, você escreve com muito sentimento mesmo! cada dia que passa me surpreendo mais!

beijos

manú boa morte ϟ disse...

a Marcia é linda, e morro de inveja dos teus poemas.. lindos

Felicidade Clandestina. disse...

Linda homenagem,linda foto,lindo texto!!
Oun. Um encanto só! Beijos :*

disse...

enoooooooooorme.

Amo seus finais

Natália disse...

Solidão tem que sumir. Beijos

Priscila Rôde disse...

À noite, o sentir torna tudo possível.

› dani.avila ♥ disse...

ai, que texto perfeito.
FLORES! me matam, exalam um sentimento tão puro, e tão verdadeiro.

beijos telepata.

Erica Ferro disse...

E o sentir se impregna no corpo inteiro. Não tem como escapar.

Ah, eu me encanto cada dia mais por tuas palavras.

Um abraço e MUITO obrigada por tudo. ;)

:*

Larissa disse...

O cheiro fica guardado dentro de nós e a qualquer lembrança, nos faz sentí-lo.
Vai ser difícil esquecer o cheiro, ele está impregnado em nossas lembranças.

Agora que eu me inspiro nos poemas do Ferreira Gullar, ele estará sempre presente no meu blog. Espero que esteja gostando *-*

:*

Francimare Araújo disse...

Eu gosto de sentir a madrugada.

carla l. disse...

O aroma já estava gravado nas narinas e no coração. Foi automático.

Maryama* disse...

A foto e o texto se completaram magicamente. Adorei!

Alan Félix disse...

"Para ver se,
mesmo assim,
exalaria o cheiro.


exalou."


Achei esse trecho lindo...