quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Extremos (dialogo entre mim, meu começo e meu fim).


Olá, morte! Você por aqui? Não esperava que voltasse tão rápido. Ei, mas espere um momento. Agora é definitivo? Não? Aah, que alívio! Até porque ainda nem deu tempo de fazer aquilo que havíamos combinado, lembra?
Mas, então, como vai você? Conte-me as novidades! Como anda a sua capacidade de destruir destinos? Espero que ainda esteja bem, pois pensei que se desintegraria depois do uso em excesso que eu fiz dela. Mas você ainda está em ótima forma, garota! Firme e forte! Gostaria de ser um pouco como você.
Bom, ainda desejando um pouco do que parecem ser as suas maiores qualidades, percebo que firmeza e força apenas não bastariam para mim. Quero um pouco mais de coragem. Quem sabe aumento um pouco a minha alma e troco este coração por um mais novo sem precisar esperar na fila dos transplantes.
Perdoe-me, preciso atender a porta. Quem será? Aaah, olá vida! Como vai você? Espero que não se importe com minha outra amiga. Ela é uma boa "pessoa", apesar de tudo.
Enquanto você peca, ela se arrepende.
E se você for carne, ela se torna espirito.
Ainda que você se dê ao trabalho de caminhar até aqui, sei que é só por ordens maiores.
Você é a própria vida, e está apenas sobrevivendo.
Enquanto a morte, vista tão mal por alguns, vem cumprindo o seu trabalho melhor que todos nós.
Pois bem, estou orgulhosa de você, amiga fatal.
Vou recompensá-la.

gostaria de um doce?


mariana andrade*

15 comentários:

Islla disse...

NOOOOOOOOOOOSSA :OOO este derrubou,pô arrazou como sempre,foi tenso.
bj gatinha =* hiihi

Marcelo Mayer disse...

pior foi o dia que vc atender um telefonema, e do outro lado da ligação é vc mesma

Verônica disse...

realmente esse foi tenso, mais muito intereçante!
como sempre lindo. :)
Beeeeeeijos amr!

Suzy Carvalho disse...

Owooww!

Boa reflexão, com um salpicado de um humor ironico, nao sei se intencional, mas ao menos, na minha visão!

gostei mto :)

Juliano disse...

Ficou excelente. Depois que eu li "A menina que roubava livros" Comecei a ver a morte de outra forma também.

Beijoooos

Luh* disse...

Não tenho medo da morte, deveria tb?!
beijos

Felicidade Clandestina. disse...

ficou dez o/

adoro o jeito que escreves!

- Lara Alves disse...

Ficoou perfeito - Parabéns
Hiper interessante ;D
Bjoos =*

cla. disse...

muuuito lindo, muito profundo ! *-*

Little dreamer disse...

Mari! o q dizer depois disso ne?
um dos textos mais criativos sabia?! eu sempre me inspiro vindo aqui. Seu blog transborda originalidade.

collectors of emotions disse...

Mari, pare de escrever textos assim, como um ser humano é capaz de escrever tão perfeitamente assim ? *-* Nem sei o que dizer dps disso, lindo, lindo, lindo. Tem selo pra você lá no blos.

Larissa disse...

Quisera eu ter um diálogo assim, onde eu pudesse fazer tantas perguntas ...
Achei o texto super tenso, mas como sempre, suas palavras foram perfeitas *-*

Beijos, querida.

Erica Ferro disse...

Muuuuuuito massa!
Como o Juliano, depois que li A menina que roubava livros, passei a ver a morte menos cruel e impediosa.
Grande abraço, MariMassa. ;)

Thaynarinha disse...

ameeei *_*

Lucas Lima disse...

muito bonito isso
parabens
bons dias