quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Consequências ( e chegaram as virgulas)


Fui tentando julgar,
distribuí folhetos com informações falsas,
rasguei folhas,
preguei peças,
tive pressa
e me perdi.
Faltou força e uma porção de coragem.
Sempre falta, já me acostumei.
Então voltei ao inicio.
Ao começo das idéias.
Quando estas ainda formavam-se.
Não eram definitivas,
apenas um reflexo de algo que haviam me dito
há algum tempo atrás.
Então voltou a insegurança
E, com ela, o desejo perigoso do impossivel.
Ou do possivel demais, ao meu ver.
Tudo que é entregue bem facilmente às nossas mãos
espera para revelar seu preço depois.
Quando já fomos enganados.
E, particularmente, não gosto de ser enganada.
Nem de perder.
O que é impossivel.
Devido ao excesso de sangue
que insiste em me fazer humana.
Muito humana.

Empresto-lhe minhas veias
por um dia, se eu puder voar
com tuas belas asas de querubim.



mariana andrade*

17 comentários:

Erica Ferro disse...

"E, particularmente, não gosto de ser enganada.
Nem de perder.
O que é impossivel.
Devido ao excesso de sangue
que insiste em me fazer humana.
Muito humana."

Ah, Mari, você que é toda poesia. ;)
Muito show essa postagem!
É bem verdade isso que tu disses.
Sempre com lindas palavras, né? ;D

Sim, deveras é maravilhoso quando levam à sério nossos escritos amadores. x)

Beijo, mocinha.
Continuemos a poesia! ♥

Juliano disse...

"Tudo que é entregue bem facilmente às nossas mãos
espera para revelar seu preço depois.."

Muitooooo inteligente isso que você escreveu, é a mais pura verdade.

Beijoooos

little dreamer disse...

"Tudo que é entregue bem facilmente às nossas mãos
espera para revelar seu preço depois.."

PARTE DE MIM!

Islla disse...

HÁ,MINHA MIGS ARRAZA *-* ela é a poesia,as palavras lindas e intensas em pessoa.

"preguei peças,
tive pressa
e me perdi.." essa parte AMEI! =*

cecilia disse...

´´E, particularmente, não gosto de ser enganada.
Nem de perder.
O que é impossivel.
Devido ao excesso de sangue
que insiste em me fazer humana.
Muito humana.
Empresto-lhe minhas veias
por um dia, se eu puder voar
com tuas belas asas de querubim´´

Nossa que lindo!um dia todos nós iremos voar com belas asas de querubim,ninguém gosta de perder mas quando perdemos olhamos pontos diferentes.
bjo

Marcelo Mayer disse...

não gosta de ser enganada? e vc? se engana?

belo texto!

Lolla...doida varrida! disse...

belissimo texto. Não publico versos em meu blog pq sei q qd eu precisar ler coisas bonitas é só vir aqui.
bjusss

Manuella de Souza disse...

como não indicaria, teu blog é otimo *-*
não sei escrever versos, os seus são lindos *-*

Hosana Lemos disse...

"Então voltou a insegurança
E, com ela, o desejo perigoso do impossivel."

o impossível tem um gostinho de desafio, faz com que a gente o siga muitas vezes cegamente...

adorei, de verdade!

Luíza disse...

PERFEITO!

Marcus Malta disse...

"Tudo que é entregue bem facilmente às nossas mãos
espera para revelar seu preço depois.."

Realmente como juliano disse, isso foi muito inteligente .

Beijos

Natália disse...

As coisas que você escreve são tão lindas :D beijos

cla. disse...

insegurança com certeza é uma das piores coisas do mundo x.x

Bê Matos disse...

Só tem graça, se lutar, e conquistar. :) se for fácil, nem quero. rs

ô mari, eu sempre fui compulsiva por vírgulas. Até que um dia, conheci o ponto. Depois disso, não paro de usá-lo. e agora?

HAHA

lindo, como sempre.
Beijus :*

collectors of emotions disse...

Para mari, amei a texto.

Ser humana as vezes cansa, um ser tão frágil e indefeso ( acho que to lendo mtas coisas de vampiros e demaias imortais, kk)
Medo e insegurança, não adianta, quando menos quisermos que eles apareçam, eles vão esta ali.

disse...

Arreeeepieeei!@

cáa disse...

suas poesias,de certa forma,me acalmam.Parabéns.
beijos